Governo de Moçambique procura reactivar fábrica de processamento de grafite de Ancuabe

8 May 2017

O governo de Moçambique está a tentar reactivar a fábrica de processamento de grafite de Ancuabe, na província nortenha de Cabo Delgado, anunciou o Presidente da República no decurso de um comício realizado na passada sexta-feira no posto administrativo de Meza, distrito de Ancuabe.

Filipe Nyusi, que na quinta-feira havia iniciado uma visita de três àquela província, recordou que o distrito é rico não só na produção agro-pecuária mas também nos recursos minerais de que dispõe, tais como a grafite, ouro e calcário e, entre as pedras preciosas, granadas e rubis.

A empresa Grafites de Ancuabe iniciou a actividade em 1994 de exploração mineira e respectivo processamento na sequência de um investimento de 12 milhões de dólares efectuado por um consórcio constituído por três empresas estrangeiras.

Ainda na década de 90 do século passado a fábrica fechou as portas por falta de acesso a energia eléctrica, sendo que na altura funcionava com recurso a geradores o que se veio a revelar incomportável para as contas da empresa.

Filipe Nyusi, citado pela agência noticiosa AIM, disse que neste momento o distrito já dispõe de energia eléctrica da rede nacional, facto que “representa um incentivo para a reabertura da fábrica de processamento da grafite.”

Em Maio de 2016, o Presidente de Moçambique, igualmente no decurso de uma visita de três dias à província de Cabo Delgado, disse em Balama que a fábrica de processamento de grafite ia ser reactivada, “decorrendo actualmente o processo de procura de um investidor que queira aplicar capital no projecto.” (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH