Dirigente da China elogia Macau e pede maior eficácia na governação

9 May 2017

O desenvolvimento económico-social de Macau exige uma capacidade de governação local cada vez maior, a fim de garantir o êxito da medida “Um país, dois sistemas”, disse segunda-feira em Macau o presidente do Comité Permanente da Assembleia Popular Nacional (ANP), Zhang Dejiang.

Zhang Dejiang, que se encontra em Macau para uma visita de três dias, considerou, num encontro com os responsáveis do governo de Macau, que após a transferência da administração em 1999 a medida “Um país, dois sistemas” e a Lei Básica foram plenamente concretizados.

Zhang, a terceira personalidade da hierarquia política da China, reconheceu ainda que foram obtidos resultados positivos no que toca à garantia da autonomia do governo da Região Administrativa Especial de Macau, ao funcionamento eficaz da estrutura política com predominância do poder executivo, ao desenvolvimento rápido da economia, à melhoria contínua do bem-estar da população, à manutenção da estabilidade e à harmonia social no território.

No entanto, Zhang Dejiang disse que, apesar da situação geral de Macau ser boa, o território ainda enfrenta alguns problemas e desafios pelo que “o desenvolvimento económico-social exige uma maior capacidade de governação para dar resposta às expectativas da população.”

Zhang afirmou ainda estar agradado por constatar que o governo de Macau sob a liderança de Chui Sai On conseguiu aproveitar as oportunidades do 13.º Plano Quinquenal da China e da estratégia “Uma Faixa, Uma Rota”, criar o primeiro Plano Quinquenal de Desenvolvimento do território, preparar a revisão intercalar do sector de jogo, promover Macau como “Um Centro, Uma Plataforma” e impulsionar o desenvolvimento diversificado e sustentável da economia local.

O Chefe do Executivo, Chui Sai On, disse por seu turno que as políticas e medidas de apoio da China, nomeadamente as iniciativas “Uma Faixa, Uma Rota” e a Grande Baía de Guangdong – Hong Kong – Macau, criam enormes oportunidades para uma nova etapa de desenvolvimento do território.

Chui Sai On lembrou que, após um profundo ajustamento económico ao longo de 26 meses, a economia de Macau retomou este ano o crescimento e garantiu que o governo que chefia tudo fará para concretizar as metas do Plano Quinquenal de Desenvolvimento do território, aprofundando em simultâneo o intercâmbio e a cooperação com a China e o desenvolvimento da economia.

Zhang, que se havia reunido anteriormente a sós com o Chefe do Executivo Chui Sai On e com o Vice-Presidente do Comité Nacional da Conferência Política Consultiva do Povo Chinês (CPPCC), Edmund Ho Hau Wah, que foi o primeiro Chefe do Executivo de Macau após a transferência da administração portuguesa para a China em 1999, lembrou que o contributo de ambos foi determinante para que em 2016 o Produto Interno Bruto (PIB) de Macau tenha sido 5,9 vezes superior ao registado em 1999, o que representa um crescimento anual médio de 7,75% e para que o PIB per capita seja de 69 mil dólares, o que disse ser o maior do mundo.

Zhang Dejiang esteve em Macau em 2004, na qualidade de secretário do Partido Comunista da China na província de Guangdong, para promover a cooperação na zona do Pan-Delta do Rio das Pérolas, lançar o desenvolvimento da ilha de Hengqin e reforçar as relações de cooperação com Macau. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH