Companhia de Bioenergia de Angola prevê aumento da produção em 2017

10 May 2017

A Companhia de Bioenergia de Angola (Biocom) prevê produzir, este ano, 73 mil toneladas de açúcar, 17 mil metros cúbicos de etanol e 200 gigawatts hora de electricidade, disse o director de produção da empresa, Marcos Brandão.

O director de produção disse ainda à agência noticiosa Angop que os números previstos para 2017 representam um aumento da produção relativamente a 2016, ano em que a empresa conseguiu 52 mil toneladas de açúcar, 14 mil metros cúbicos de etanol e 100 gigawatts hora de energia.

Para aumentar a produção, a Biocom preparou 18 mil hectares de cana-de-açúcar, embora esteja previsto plantar uma área de 25 mil hectares até ao final do ano, adiantou Marcos Brandão.

A fábrica da Biocom, localizada no município de Cacuso, província de Malanje, numa área de concessão de 80 mil hectares, tem uma capacidade máxima de produção diária de 30 mil a 40 mil sacos de açúcar de 50 quilos, embora ainda esteja a produzir entre oito mil e dez mil sacos, em função da matéria-prima disponível.

Quando a Biocom atingir o pico de produção em 2020, a empresa estará a produzir 256 mil toneladas de açúcar, 234 mil megawatts hora de energia e 30 mil metros cúbicos de etanol, o que irá contribuir para a segurança energética de Angola e aumentar a oferta de álcool etílico no mercado angolano.

A Biocom é uma empresa que resultou de uma parceria entre a Odebrecht Angola Produtos e Serviços, subsidiária do grupo brasileiro Odebrecht, a empresa angolana Cochan, com 40% cada e a estatal Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol), com os restantes 20%. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH