Iniciativa “Uma faixa, uma rota” reforça Macau e gera novas oportunidades de desenvolvimento

15 May 2017

A iniciativa chinesa “Uma faixa, uma rota” proporcionará a Macau muitas novas oportunidades de desenvolvimento e de relacionamento económico e comercial, e reforçará o seu papel como grande centro mundial de turismo e lazer, disse Jorge Rangel, presidente do Instituto Internacional de Macau (IIM).

O presidente do IIM disse em entrevista concedida à agência Xinhua na véspera da abertura do Fórum “Uma faixa, uma rota” para a Cooperação Internacional que a iniciativa da China representa um grande desafio para um mundo que precisa urgentemente de se abrir e de consolidar novos caminhos e formas de cooperação económica e comercial e de intercâmbio cultural, académico e social.

Jorge Rangel disse que a vocação tradicional de Macau como entreposto e suas afinidades com os países de língua portuguesa, consagrada pela liderança central da China ao atribuir ao território a missão de se assumir como plataforma de cooperação entre a China e aqueles países, passa agora a estar estreitamente ligada ao desenvolvimento da iniciativa “Uma faixa, uma rota.”

“Na reunião do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, realizada em Outubro de 2016, já foi preconizada a articulação do funcionamento do Fórum com o desenvolvimento da Iniciativa ‘Uma faixa, uma rota’, sendo este um contributo muito importante que Macau pode dar”, disse o presidente do IIM.

A filial em Macau do Banco da China, um dos principais bancos de Macau, concedeu mais de três mil milhões de patacas (375 milhões de dólares) em empréstimos desde 2016 para apoiar empresas a fazer negócios nos países e regiões ao longo da “Uma faixa, uma rota.”(Macauhub)

MACAUHUB FRENCH