Governo de Moçambique aprova modelo de exploração de bloco de gás natural

O governo de Moçambique aprovou a proposta de construção de uma plataforma flutuante para a exploração de gás natural no bloco Área 4 da bacia do Rovuma, província de Cabo Delgado, anunciou terça-feira em Maputo o porta-voz do Conselho de Ministros.

O porta-voz e vice-ministro da Saúde Mouzinho Saíde adiantou no final da reunião que a decisão governamental criou condições para os parceiros naquele bloco possam dar início ao processo de financiamento para o projecto Coral Sul, de acordo com a imprensa moçambicana.

O bloco Área 4 tem como operador a empresa ENI East Africa, subsidiária do grupo italiano ENI, os grupos China National Petroleum Corporation, Galp Energia de Portugal, Kogas da Coreia do Sul, norte-americano ExxonMobil e a estatal moçambicana Empresa Nacional de Hidrocarbonetos (ENH).

Na sequência do negócio com o grupo ExxonMobil, o capital social da ENI East Africa ficou dividido entre os grupos ENI e ExxonMobil, com 35,7% cada e China National Petroleum Corporation (CNPC), com os restantes 28,6%.

A ENH, empresa que detém 10% daquele bloco, informou recentemente que o projecto Coral Sul abrange a construção de seis poços ligados a um sistema de produção submarino e à plataforma flutuante, que terá uma capacidade para liquidificar 3,3 milhões de toneladas de gás natural por ano. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH