Governador do Banco de Moçambique afirma que dívida pública do país é “assustadora”

29 May 2017

A dívida pública de Moçambique passou de 40% do Produto Interno Bruto, valor máximo que registou até 2013, para cerca de 120% actualmente, “facto que é assustador”, disse o governador do Banco de Moçambique domingo em Cascais, nos arredores da capital portuguesa.

Rogério Zandamela, respondendo a perguntas colocadas pela audiência durante um debate na conferência Horasis Global Meeting, que decorre até terça-feira, dia 30, disse que parte do aumento registado na dívida pública decorre da “dívida que foi omitida, que é um montante de grande dimensão.”

O governador do banco central moçambicano, citado pela agência noticiosa Lusa, mostrou-se, no entanto, confiante na capacidade do país para ultrapassar a crise económica, orçamental e financeira em que está mergulhado, mas não escondeu que há muitos desafios pela frente.

Em Maputo, o administrador Waldemar de Sousa disse que o banco central prevê que o aumento dos preços se situe entre ano entre 12,5% e 14,5% e que o Produto Interno Bruto cresça entre 3,0% e 4,0%.

O administrador, que usava da palavra durante o Conselho Empresarial Nacional organizado pela Confederação das Associações Económicas de Moçambique, adiantou que a recuperação da confiança dos doadores do Orçamento do Estado e do Fundo Monetário Internacional “é um desafio.”

“Estamos todos ansiosos para ver qual será o desfecho da auditoria internacional às dívidas, dado ser fundamental que voltemos a ter o apoio dos parceiros”, acrescentou Waldemar de Sousa, recordando que o Orçamento do Estado moçambicano depende, entre 50% e 60%, em média anual, de recursos externos. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH