Fundo de pensões do Banco de Moçambique novo accionista principal do banco Moza

A Sociedade Gestora do Fundo de Pensões dos Trabalhadores do Banco de Moçambique (Kuhanha), foi a entidade seleccionada para proceder à capitalização do banco Moza, passando a ser o maior accionista com uma participação de 80%, informou o Banco de Moçambique em comunicado divulgado quarta-feira.

O comunicado informa ainda que a entidade seleccionada foi-o por unanimidade pela comissão de avaliação que era composta pelo presidente do Conselho de Administração Provisório, um representante do Banco de Moçambique e outro da Corporação Financeira Internacional, uma entidade do grupo Banco Mundial.

A sociedade gestora vai aplicar 8170 milhões de meticais (135,7 milhões de dólares) no reforço dos capitais do Moza, assumindo uma participação de 80%, ficando os restantes 20% nas mãos do Novo Banco, a entidade que assumiu os activos de qualidade do falido Banco Espírito Santo, da Moçambique Capitais, com cerca de 10% cada e de um particular com 0,01%.

Esta decisão foi tornada possível devido ao facto de a Moçambique Capitais (um grupo de cerca de 400 investidores moçambicanos) e o Novo Banco, que detinham 51% e 49% do capital do Moza, respectivamente, terem abdicado do exercício do direito de preferência, dentro do prazo estabelecido, findo a 23 de Março de 2017.

No encontro com a imprensa que teve lugar quarta-feira, nem o administrador do Banco de Moçambique, Alberto Bila, nem o presidente do Conselho de Administração Provisório, João Figueiredo – que continuará à frente do Moza – adiantaram que outras ofertas foram entregues à comissão de avaliação. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH