Sucursal de Luanda do Banco da China vai facilitar relações comerciais com Angola

6 June 2017

A sucursal de Luanda do Banco da China poderá facilitar os pagamentos nas relações comerciais entre Angola e a China, evitando a utilização de outros bancos intermediários, afirmou o ministro das Finanças, Archer Mangueira, na cerimónia de inauguração das instalações.

“Não são apenas pagamentos para a China mas para todo o mundo”, disse o ministro, augurando que a abertura da sucursal do banco chinês ajude na evolução do padrão do relacionamento económico entre ambos os países.

Além do financiamento para a construção de infra-estruturas por parte de empresas chinesas, ao abrigo das linhas de crédito concedidas, “precisa-se mais investimento directo de empresas e empresários daquele país asiático em Angola”, salientou o ministro, citado pela agência noticiosa Angop.

“Gostaríamos de ver mais parcerias entre empresas angolanas e chinesas e, até mesmo, financiamento directo de empresas angolanas por bancos chineses, sem garantias soberanas do Estado”, disse.

O descerrar da placa que marcou o início da actividade do banco em Angola foi feita pelo ministro e chefe da Casa Civil do Presidente da República, Manuel da Cruz Neto e pelo presidente do Banco da China, Chen Siqing.

O Banco da China chegou a Angola em 2012, quando abriu um escritório de representação, tendo em 2015 iniciado o processo de instalação da sucursal, o que ficou formalizado por um Despacho Presidencial de Maio de 2016. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH