Exportação de cacau rende a São Tomé 1 milhão de dólares no 1.º trimestre

A exportação de cacau no primeiro trimestre do ano proporcionou a São Tomé e Príncipe uma receita de 24,3 mil milhões de dobras (pouco mais de um milhão de dólares), de acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) obtidos pela agência Macauhub em São Tomé.

Os dados fornecidos pelo INE permitem constatar que a receita obtida com as vendas de cacau, que representaram 71,1% de todas as exportações de produtos agrícolas no período, registou uma quebra de 39,1% em dobras (moeda são-tomense) devido à quebra do preço no mercado estrangeiro.

Em termos de quantidade houve igualmente uma variação negativa, de 29,7%, com a exportação de cacau a ter baixado de 632 toneladas no primeiro trimestre de 2016 para 432 toneladas nos primeiros três meses de 2017.

O INE referiu que esta quebra na tonelagem exportada ficou a dever-se a uma baixa de produção causada por “factores climáticos.”

Os restantes 28,9% na lista de produtos agrícolas exportados de Janeiro a Março do ano em curso foram preenchidos, sobretudo, com flores e plantas.

Na lista das empresas exportadoras do cacau são-tomense destacam-se a Sociedade Satocoa, a Cooperativa Cecab, a Agro-Comercial Agricon, Uba Budo e Belavista.

Os principais países importadores dos produtos agrícolas de São Tomé e Príncipe são Portugal, Países Baixos, Bélgica, França, entre outros.

A economia de São Tomé e Príncipe, em que as ajudas externas cobrem mais de 50% da despesa pública, baseia-se fundamentalmente na exportação de produtos agrícolas, sobretudo o cacau, que contribui com quase 27% para a estrutura do PIB do país. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH