Consórcio luso-chinês contratado para construir linha de caminho-de-ferro em Moçambique

O consórcio constituído pelo grupo português de construção civil Mota-Engil e pela empresa China National Complete Engineering Corporation assinou um contrato com a Thai Moçambique Logística para construir em Moçambique uma linha de caminho-de-ferro com uma extensão de 500 quilómetros, informou o grupo em comunicado ao mercado.

O grupo informou ainda no comunicado divulgado através da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários que o projecto, integrado no corredor logístico que ligará a zona mineira de Moatize ao porto de Macuse, na província da Zambézia, terá uma duração contratual de 44 meses e um custo de 2389 milhões de dólares.

A China National Complete Engineering Corporation é uma subsidiária do grupo China Machinery Engineering Corporation, cotado na Bolsa de Valores de Hong Kong, sendo este projecto empreitada de maior valor da história do grupo português e o primeiro consórcio (50/50) entre empresas portuguesas e chinesas.

O comunicado adianta que atendendo ao facto de ir ter lugar uma incorporação elevada de bens e serviços provenientes da China, é muito provável que as instituições chinesas de crédito às exportações, caso do Banco de Exportações e Importações da China, possam contribuir “positivamente” para o processo de montagem do financiamento do projecto.

O início das obras de construção poderá ocorrer em 2018, “concluídas que estejam as negociações do cliente para o financiamento do projecto”, pode ler-se no comunicado datado de 13 de Junho.

O presidente executivo da Thai Moçambique Logística, José Pires da Fonseca, já havia anunciado em Março passado ter o projecto sido adjudicado ao consórcio constituído em partes iguais pelo grupo Mota-Engil e pela empresa China National Complete Engineering Corporation. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH