Empresas da China investiram mais de 8,5 mil milhões de dólares no sector da construção de Moçambique

16 June 2017

Os contratos de construção civil celebrados por empresas chinesas em Moçambique atingiram 8,71 mil milhões de dólares no final de 2016 revelou, em Maputo, a Secretária-Geral do Fórum de Macau durante o “Encontro sobre a Cooperação Produtiva entre a China e os Países de Língua Portuguesa”.

Xu Yingzheng disse ainda que em 2016 os investimentos directos, não-financeiros, da China em Moçambique atingiram 23,13 milhões de dólares e o investimento directo da China atingiu 724 milhões de dólares no final de 2015.

A responsável do Fórum de Macau afirmou ainda que cooperação entre a China e Moçambique é uma realidade em áreas como a montagem automóvel, agricultura, televisão, construção civil, processamento e manufacturação e desenvolvimento de recursos naturais.

Durante a sua intervenção, no encontro, co-organizado pelo Centro de Promoção de Investimentos de Moçambique, Xu lembrou que “A China é não só uma potencia comercial como uma potência de investimento, sendo a cooperação da capacidade produtiva uma iniciativa importante para a cooperação económica e comercial com o exterior, assim como um importante sustentáculo para a potencial integração da China na cadeia industrial, na cadeia de valores e na cadeia logística mundial”.

A Secretária-Geral do Fórum de Macau recordou igualmente que “também os países de língua portuguesa se encontram perante a necessidade de aperfeiçoamento das suas estruturas, aprimoramento do nível de industrialização e optimização da sua estrutura industrial” pelo que existe uma grande margem de cooperação com a China.

No encontro a que estiveram presentes membros do governo, diplomatas, homens de negócios empresas de Moçambique e da China, a Secretária-Adjunta do Fórum de Macau, Echo Chan falou sobre o papel de Macau como plataforma de serviços na ligação da China com os países de língua portuguesa e o que esse facto significa no apoio às relações da China com osoito países membros do Fórum de Macau.

Echo Chan recordou que Macau é um porto franco, geograficamente perto do interior da China, tem duas línguas oficiais,uma afinidade com os países de língua portuguesa, uma grande diversidade cultural, é Património Mundial da Unesco, tem estreitas relações económicas, comerciais e culturais com os países de língua portuguesa, possui recursos humanos bilingues, com domínio da língua portuguesa e é signatário de diversos protocolos para evitar a dupla tributação.(Macauhub)

 

MACAUHUB FRENCH