Banco de Moçambique introduz rácio mínimo de liquidez para o sector bancário

20 June 2017

A Comissão de Política Monetária do Banco de Moçambique decidiu introduzir o rácio mínimo de liquidez, fixando-o em 25%, “como percentagem dos compromissos de curto prazo investidos em activos líquidos”, informou o banco central em comunicado divulgado segunda-feira em Maputo.

“Este indicador de alerta vem preencher a lacuna existente no quadro dos actuais indicadores de prudência para o acompanhamento e controlo da liquidez do sistema bancário”, pode ler-se no documento disponível na página electrónica da instituição.

O banco central informou ainda ter aquela Comissão decidido também manter a Taxa MIMO em 21,75%, a taxa de juro da facilidade permanente de cedência de liquidez em 22,75% e de depósitos em 1,25% e o coeficiente de reservas obrigatórias para os passivos em moeda nacional e estrangeira em 15,50%.

Tais decisões derivam do facto de ser necessário reforçar “a prudência na condução da política monetária” tendo em atenção as perspectivas de maior dinamismo da actividade económica no segundo semestre, do agravamento do risco fiscal e dos futuros ajustamentos dos preços administrados.

Em encontro com a imprensa para anunciar estas decisões, o governador do Banco de Moçambique, Rogério Zandamela, disse que a taxa de inflação deverá ficar este ano em 14%, que compara com a taxa de 25% registada em 2016.

Zandamela realçou as “perspectivas de maior dinamismo da actividade económica no segundo trimestre de 2017”, lembrando que, só até Maio, as expectativas de apreciação da moeda fizeram com que as reservas internacionais brutas atingissem 2,2 mil milhões de dólares. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH