Número de turistas da China em Cabo Verde pode vir a atingir 100 mil

21 June 2017

Cabo Verde pode vir a receber perto de 100 mil turistas chineses, a partir do momento em que melhorar as suas infra-estruturas turísticas, afirmou o vice-presidente do Conselho de Promoção do Comércio Internacional da China (CCPIT), Zhang Wei.

Em entrevista à Macauhub à margem do Encontro de Empresários para a Cooperação Económica e Comercial Entre a China e os Países de Língua Portuguesa, na Praia, Zhang Wei afirmou que Cabo Verde “terá vantagem em participar na cooperação económica e comercial com a China, sob a orientação da iniciativa Faixa e Rota, se conseguir melhorar as instalações para turistas.”

“Há cerca de 100 mil chineses que têm vontade de fazer turismo em Cabo Verde, se o país tiver melhores instalações turísticas”, como hotéis, mas também infra-estruturas rodoviárias, disse o responsável da CCPIT, apontando os exemplos da Itália ou Grécia, que recebem centenas de milhares de turistas chineses anualmente.

A ilha de Santiago, onde decorreu o encontro, é actualmente palco de construção de vários grandes empreendimentos hoteleiros, nomeadamente o do empresário de Macau David Chow, visitado pela delegação levada à cidade da Praia pelo Instituto de Promoção do Comércio e Investimento de Macau (IPIM).

Outras cadeias a apostar no arquipélago, que tem no turismo o “motor” da economia, incluem a norte-americana Hilton e a espanhola Meliá.

Em recente passagem por Cabo Verde, o ministro chinês dos Negócios Estrangeiros, Wang Yi, prometeu “apoio incondicional” do governo do seu país ao desenvolvimento da economia marítima local, onde a China já está envolvida na futura zona económica especial da ilha de São Vicente.

Zhang Wei disse também que a posição geográfica de Cabo Verde, ao largo do nordeste do continente africano e próximo dos arquipélagos das Canárias (Espanha), Madeira e Açores (Portugal), é uma das principais vantagens que apresenta.

“Sob a orientação da iniciativa Faixa e Rota, temos vários países parceiros na direcção oeste, por exemplo Grécia e Itália. Se nós tivermos Cabo Verde como parceiro na direcção oposta, a iniciativa vai alargar-se para ainda mais longe”, disse o responsável da CCPIT à Macauhub.

Zhang Wei afirmou que o primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, manifestou à CCPIT vontade de conseguir a participação de empresas para a realização de projectos e construção de infra-estruturas, entre outras áreas, e acrescentou que “as empresas chinesas estão disponíveis para participar” no projecto da economia marítima do arquipélago.

“O CCPIT pode fazer o intercâmbio com o organismo de promoção e comércio de Cabo Verde para atrair e organizar empresas chinesas”, disse Zhang Wei.

O responsável da Câmara acredita que o governo de Cabo Verde “vai proporcionar aos empresários um melhor ambiente de negócios e mais benefícios”, pois “está ciente das vantagens da China, nomeadamente no que se refere à capacidade produtiva de infra-estruturas e de capital.” (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH