Comunidade dos Países de Língua Portuguesa deve privilegiar economia

Os empresários dos países de língua portuguesa querem transformar a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) de uma instituição essencialmente política para uma que privilegie os assuntos de carácter económico, disse em Maputo o presidente da Confederação Empresarial da CPLP, o moçambicano Salimo Abdula.

À margem do anúncio sexta-feira da realização da primeira conferência económica do mercado da Confederação Empresarial da Comunidade de Países da Língua Portuguesa (CE-CPLP), Salimo Abdula adiantou que para se conseguir atingir esse objectivo “urge melhorar a mobilidade de pessoas e bens dentro da comunidade.”

A primeira conferência económica do mercado da CPLP terá lugar na segunda quinzena de Outubro próximo, em Maputo, no decurso da qual os empresários da CPLP terão a oportunidade de partilhar as suas ideias e prioridades que vão permitir a criação do novo mercado da CPLP.

Citado pelo jornal Notícias, de Maputo, Abdula disse estar a ser discutido o centro de arbitragem, conciliação e mediação da CPLP, “que é uma forma de podermos ajudar a conciliar aquilo que são conflitos comerciais entre as empresas que estão a investir no espaço da CPLP.”

Temas como reconhecimento de profissões dentro da CPLP, constituição de empresas de capital estrangeiro e ligações aéreas e marítimas serão discutidos durante a primeira conferência económica do mercado CPLP, no decurso da qual deverá ser adoptado um Tratado de Maputo, documento que estabelece medidas concretas para a materialização do projecto.(Macauhub)

MACAUHUB FRENCH