Seca afecta mais de 1 milhão de pessoas em Angola

6 July 2017

Mais de um milhão de pessoas foram afectadas pela seca nos últimos cinco anos em Angola, com maior incidência nas províncias da Huíla, Cunene e Namibe, disse quarta-feira, em Roma, Itália, o ministro da Agricultura, Marcos Alexandre Nhunga.

O ministro, ao discursar na 40.ª conferência da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), que decorre de 3 a 8 de Julho corrente na capital italiana, sublinhou ter o governo, com o apoio de parceiros nacionais e estrangeiros, organizado uma grande operação de apoio à população afectada.

Angola calculou em 464,5 milhões de dólares os recursos financeiros necessários para recuperar dos efeitos e impactos causados pela seca prolongada, que afectou nos últimos cinco anos mais de um milhão de pessoas, de acordo com um relatório sobre a Seca em Angola entre 2012-2016 e de Avaliação das Necessidades Pós Desastre.

Este relatório, recentemente divulgado, foi elaborado pela Comissão Nacional de Protecção Civil, com apoio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, da União Europeia e do Banco Mundial.

Na reunião de Roma, o ministro Marcos Alexandre Nhunga anunciou que Angola está a preparar-se, com o apoio técnico da FAO, para realizar o primeiro censo geral agro-pecuário após a independência (1975) e criar um sistema permanente de estatísticas agrícolas, de acordo com a agência noticiosa Angop. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH