Emirates põe termo “imediato” ao contracto de gestão com a TAAG de Angola

11 July 2017

A Emirates pôs termo, com efeito imediato, ao contracto de concessão para a gestão da companhia aérea angolana TAAG devido às “dificuldades constantes em proceder à repatriação das receitas obtidas no país”, informou a companhia aérea.

O contracto foi assinado em Setembro de 2014, tendo a Emirates nomeado uma equipa de gestão que tinha por missão fazer com que a companhia aérea de bandeira de Angola regressasse aos lucros através de uma força de trabalho mais reduzida e do redimensionamento da rede de ligações aéreas.

A Emirates informou ainda em comunicado divulgado em Luanda que vai reduzir a sua presença em Angola que se iniciou segunda-feira com a redução de cinco para três do número de frequências semanais para Luanda.

“A questão da repatriação das receitas obtidas com a venda de bilhetes tem-se mantido sem solução, apesar de inúmeros pedidos feitos às autoridades competentes e garantias de que medidas seriam tomadas”, adiantou a companhia.

O contracto de concessão celebrado com a Emirates Airlines para o período entre 2015 e 2019 previa resultados operacionais positivos de 100 milhões de dólares ao fim de quatro anos, depois de em 2014 a TAAG ter registado prejuízos de 99 milhões de dólares. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH