Governo de Cabo Verde cancela concurso internacional ganho por grupo de Portugal

31 July 2017

O governo de Cabo Verde anulou o concurso internacional para a entrega em regime de sub-concessão da Cabnave – Estaleiros Navais de Cabo Verde, empresa com sede na ilha de São Vicente, que havia sido ganho pelo grupo ETE – Empresa de Tráfego e Estiva de Portugal, de acordo com um comunicado oficial.

A proposta apresentada pelo grupo português tinha sido seleccionada pelo anterior governo para a fase seguinte do processo da privatização dessa infra-estrutura naval, que seria a de negociação do acordo entre as partes para a sua exploração.

Dizendo que a fase seguinte não foi iniciada, o comunicado divulgado sexta-feira na Praia informa que “o novo governo, ditado pelas eleições de 20 de Março de 2016, suspendeu o processo para (…) perceber se a estratégia definida estaria alinhada com a visão do governo para o sector marítimo e em particular para a Ilha de São Vicente.”

A nova visão do governo e a estratégia definida para o sector prevê o desenvolvimento integrado da economia marítima, com centro na ilha de São Vicente, traduzida numa Zona Económica Especial, na qual devem fazer parte toda a zona de jurisdição portuária do Porto Grande, incluindo a Cabnave.

O comunicado termina dizendo que o governo concluiu que a modalidade previamente definida para o processo de sub-concessão da Cabnave não responde às exigências do novo enquadramento definido para o sector e para a Ilha de São Vicente tendo, por isso, sido cancelado.

O grupo ETE – Empresa de Tráfego e Estiva foi fundado em 1939, estando actualmente presente, além de Portugal, em outros países da Europa, América e África, actuando em áreas como transporte marítimo, operações portuárias, engenharia e reparação naval, transporte fluvial, operação logística e agente de navegação. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH