Grupo Odebrecht vende participação em mina de diamantes em Angola

2 August 2017

O grupo brasileiro Odebrecht chegou a acordo para vender a um dos restantes accionistas a participação de 16,4% que detém na empresa angolana Sociedade Mineira de Catoca, noticiou a imprensa brasileira.

O objectivo desta venda, à semelhança de outras que o grupo brasileiro tem estado a efectuar, é a obtenção de liquidez para pagar os compromissos assumidos com a justiça, na sequência do caso de corrupção conhecido por “Lava Jacto” e fortalecer a tesouraria antecipando futuros negócios.

O grupo aceitou pagar 3,5 mil milhões de dólares e proceder a uma reestruturação profunda na sequência de um acordo alcançado com as autoridades do Brasil, Estados Unidos e Suíça.

A agência financeira Reuters escreveu que a participação colocada à venda pelo grupo brasileiro foi adquirida pela estatal Empresa Nacional de Prospecção, Exploração, Lapidação & Comercialização de Diamantes de Angola (Endiama) com a ajuda dos restantes accionistas.

A agência citou fontes bancárias para afirmar que a participação do grupo brasileiro está estimada em 300 milhões de dólares, tendo por base uma estimativa de 1,8 mil milhões de dólares para o valor da mina de diamantes.

A Sociedade Mineira de Catoca, que explora o quarto maior quimberlito do mundo, tinha como accionistas antes deste negócio a Endiama, com 32,8%, o grupo russo Alrosa com 32,8%, LL International Holding (do grupo israelita Lev Leviev), com 18% e a Odebrecht Mining Services, com os restantes 16,4%. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH