Barragem de Laúca, Angola, inicia produção comercial de energia

4 August 2017

A primeira das seis turbinas de 334 megawatts do aproveitamento hidroeléctrico de Laúca, em construção na cascata do Médio Cuanza, inicia hoje, sexta-feira, a produção comercial de energia eléctrica, finalizados os testes de sincronização de cargas iniciados a 9 de Julho último, escreveu a agência noticiosa Angop.

Para tornar possível a geração de energia nesta barragem, em construção desde 2012, em Malanje, iniciou-se, a 11 de Março de 2017, o enchimento do reservatório de Laúca, para aprovisionar água suficiente (2680 milhões de metros cúbicos) e mover as seis turbinas.

Esta obra, a maior de engenharia civil e hidroeléctrica de Angola, é um investimento público de 4,5 mil milhões de dólares, indo produzir mais do dobro da maior barragem actualmente em funcionamento, a de Cambambe, com 960 megawatts.

O aproveitamento de Laúca, um projecto estruturante do sector eléctrico, inserido no Plano Nacional de Desenvolvimento (2012-2017), vai injectar no sistema eléctrico nacional 2070 megawatts e quando totalmente concluída (em 2018) permitir o início ao processo de interligação dos sistemas norte, centro e sul do país.

Com Laúca e adicionando a esta infra-estrutura a Central de Ciclo combinado do Soyo, com 750 megawatts, o sector eléctrico angolano passa a ter uma capacidade instalada de cinco mil megawatts em 2018, enquanto a meta, até 2025, é atingir nove mil megawatts, para responder à procura doméstica.

O projecto Laúca surgiu a partir de um estudo de inventário realizado na década de 1950, solicitado pela então empresa pública Sociedade Nacional de Estudo e Financiamento de Empreendimentos Ultramarinos (Sonefe) à empresa Hydrotechnic Corporation (USA), que concluiu que, na bacia do Médio Cuanza, podiam ser construídas sete barragens.

Das sete barragens planeadas para o Médio Cuanza, três já se encontram construídas, nomeadamente, Barragem de Cambambe, Capanda e, agora, Laúca, ficando a faltar as do Túmulo do Caçador, Luime, Zenzo I e Zenzo II.

Com uma altura de 156 metros, 1200 metros de comprimento e uma área de 24 mil hectares, incluindo a albufeira, Laúca é a segunda maior barragem em construção em África, depois da Grande Represa do Renascimento Etíope, que poderá vir a gerar seis mil megawatts. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH