Cabo submarino que liga Angola ao Brasil começa a funcionar em Julho de 2018

10 August 2017

O cabo submarino em fibra óptica “South Atlantic Cable System (SACS)”, que vai ligar Luanda, Angola, a Fortaleza, Estado do Ceará, Brasil, começa a funcionar em Julho de 2018, proporcionando uma redução dos custos no acesso aos serviços de telecomunicações, disse quarta-feira o gestor do projecto SACS.

Este projecto da iniciativa do Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, em parceria com a empresa Angola Cables, vai fazer com que Angola passe a ser o primeiro país a estabelecer a ligação por cabo submarino entre África e a América do Sul, numa extensão de 6200 quilómetros.

O gestor do projecto, Clementino Fernando, disse que o SACS, além de unir os dois continentes, via marítima, fará com que Angola passe a ser o epicentro das telecomunicações a nível do continente africano, garantindo uma rota de tráfego África/Estados Unidos de América/Europa, através do cabo em fibra óptica West Africa Cable System (WACS), que liga 11 países do continente africano e três da Europa.

“A finalização da instalação do SACS está prevista para o primeiro trimestre de 2018 e em Julho do mesmo ano o grupo japonês NEC vai transferir a infra-estrutura para a entidade gestora, a Angola Cables”, afirmou, citado pela agência noticiosa Angop.

O acto de início da colocação do cabo submarino de fibra óptica na água foi efectuado pelo ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, José Carvalho da Rocha e testemunhado pela ministra da Ciência e Tecnologias, Cândida Teixeira e pelo governador do Estado do Ceará (Brasil), Camilo Santana.

O ministro José Carvalho da Rocha disse na ocasião que a instalação deste cabo submarino vai permitir atrair investimentos para Angola, tendo em conta a velocidade e melhoria da qualidade dos serviços que esta infra-estrutura pode proporcionar ao sector das telecomunicações. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH