Orçamento anual para fazer de Macau uma “cidade inteligente” fixado em 25 milhões de dólares

15 August 2017

O orçamento anual consignado ao projecto para fazer de Macau uma “cidade inteligente” foi fixado em 200 milhões de patacas (25 milhões de dólares) para os próximos anos, de acordo com um comunicado oficial divulgado segunda-feira.

O comunicado acrescenta que este ano serão despendidos 500 milhões de patacas (62,5 milhões de dólares) em tecnologia informática para sustentar o desenvolvimento inteligente da cidade ao abrigo do contracto recentemente assinado com a empresa Alibaba Cloud, subsidiária do grupo chinês Alibaba.

O Acordo-Quadro para a Cooperação Estratégica na Área da Construção de uma Cidade Inteligente foi assinado “na sequência de mais de meio ano de intercâmbio e comunicação” entre as duas partes.

“A criação de um centro de computação em nuvem exclusivo do governo significa que as instalações, os equipamentos, o sistema, a plataforma, o método de computação, em especial, os dados recolhidos e armazenados pelo sistema serão propriedade do governo”, lê-se no comunicado.

O comunicado assinado pelo porta-voz do governo refere que o grupo Alibaba irá apenas fornecer apoio à criação do centro de computação em nuvem, à configuração do sistema de computação em nuvem e da plataforma dos dados, à concepção do método de computação dos dados, sem, no entanto, ter a eles ter acesso.

“Todos os dados serão armazenados em Macau, não envolvendo fuga para o exterior”, garante o comunicado, acrescentando que o centro de dados irá ficar instalado em instalações actualmente existentes do governo do território.

A nota de imprensa refere que a “Lei de Protecção dos dados pessoais”, actualmente em vigor em Macau, “consagra uma plena protecção dos dados pessoais e da privacidade”, pelo que o governo irá proceder à sua anonimização sob a supervisão e a orientação do Gabinete de Protecção de Dados Pessoais, “de modo a que seja garantida a segurança dos dados de Macau.” (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH