Governo de Cabo Verde regulariza dívidas em atraso com o sector bancário

22 August 2017

O governo de Cabo Verde está a trabalhar a fim de repor a confiança, nomeadamente junto do sistema bancário do país, disse segunda-feira o ministro das Finanças, Olavo Correia, após ter assinado um contracto com a Caixa Económica de Cabo Verde para o pagamento de dívidas em atraso.

Este contracto com a Caixa Económica de Cabo Verde, a que se adiciona um anterior assinado com o Banco Comercial do Atlântico, representam mais de 3300 milhões de escudos (35,2 milhões de dólares) acumulados há mais de uma década e que o Estado devia a estas duas instituições referentes, entre outros, a bonificações de juros.

A Caixa Económica tinha a receber do Estado cerca de 900 milhões de escudos (9,6 milhões de dólares), de acordo com um anúncio efectuado pelo ministro das Finanças e a dívida para com o Banco Comercial do Atlântico (BCA), do grupo estatal financeiro português Caixa Geral de Depósitos, ascendia a 2399 milhões de escudos (25,6 milhões de dólares).

“Trata-se de muito dinheiro que ficou por pagar, desrespeitando contractos e instituições. E o Estado tem que dar o primeiro sinal, cumprindo os compromissos”, justificou o ministro das Finanças, para quem “o caminho está aberto para um novo relacionamento” com o sector bancário.

Olavo Correia garantiu que o governo vai incluir no Orçamento de Estado uma dotação financeira para que os compromissos agora vertidos em forma de contracto fiquem garantidos. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH