Moçambique introduz contractos de gestão para empresas participadas pelo Estado

22 August 2017

Os gestores das empresas participadas pelo Estado têm de respeitar um contracto de gestão no exercício da sua actividade a partir de 2018, de acordo com informações divulgadas no decurso da reunião anual de planificação do Instituto de Gestão das Participações do Estado (Igepe) de Moçambique.

Essas informações, citadas pela imprensa moçambicana, indicam que passará a existir uma matriz de desempenho com metas e objectivos para todas as empresas participadas e igualmente para cada um dos membros dos conselhos de administração.

Raimundo Matule, administrador executivo da Igepe, disse que aquela matriz será a base da avaliação do desempenho, primeiro da empresa como um todo e depois de cada membro do conselho de administração das unidades produtivas.

Tal significa, prosseguiu, que cada administrador financeiro terá objectivos e metas, o mesmo sucedendo com o sector comercial e outros quadros ligados à gestão das empresas participadas pelo Estado.

O encontro anual abordou igualmente a reestruturação das empresas que compõe a carteira do Igepe, num total de 99 empresas, das quais 43 em operação e as restantes em liquidação e dissolução.

O ministro da Economia e Finanças, Adriano Maleiane, disse por seu turno que as empresas participadas pelo Estado têm de melhorar o seu desempenho, passar a ser competitivas e ser fonte de receita para a administração fiscal e deixarem de ser um “fardo” para o erário público.  (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH