Bancos de Moçambique estão dependentes do Estado para crescerem

19 September 2017

O sector bancário de Moçambique ficou dependente dos empréstimos ao sector público para manter o crescimento, devido ao ambiente económico criado pelo incumprimento financeiro do Estado em 2016, afirmou a consultora BMI Research.

Numa nota sobre o sector financeiro enviada aos analistas, esta consultora do grupo Fitch acrescenta que tal acontece porque “o governo tem cada vez mais estado afastado dos mercados internacionais no seguimento da divulgação de dívidas escondidas e do subsequente incumprimento financeiro.”

Com recurso limitado ao financiamento externo, o governo tem dependido cada vez mais dos bancos nacionais para a obtenção de crédito, escreve a consultora, para acrescentar que este não deverá ser um modelo sustentável de crescimento para os bancos.

A BMI Research acrescentou que a concessão de crédito por parte dos bancos ao governo através da compra de títulos de dívida pública registou um crescimento homólogo médio de 19,1%, que compara com um aumento médio de apenas 4,1% no crédito público às empresas e aos particulares.

“Este modelo não é sustentável além de 2018, dado que o acordo que o governo poderá vir a assinar com o Fundo Monetário Internacional irá exigir uma redução do endividamento público”, adiantou a nota da BMI Research, citada pela agência noticiosa Lusa.

A consultora recordou ainda que o facto de os empréstimos a serem eventualmente concedidos pelo FMI apresentarem uma taxa de juro mais baixa vai fazer com que estes acabem por substituir o papel do sector bancário de Moçambique como credor do Estado. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH