Fundo de Energia de Moçambique apresenta projectos de energias renováveis

19 September 2017

O Fundo de Energia (Funae) de Moçambique apresenta hoje a carteira de projectos de energias renováveis no montante estimado em 500 milhões de dólares a fim de contribuir para que até 2030 a população moçambicana tenha pleno acesso a energia eléctrica, de acordo com um comunicado divulgado segunda-feira em Maputo.

O comunicado citado pela agência noticiosa AIM informa que a carteira de projectos prevê a electrificação através da utilização de fontes solares e hídricas, abrangendo as províncias de Maputo, Gaza e Inhambane (sul), Sofala, Manica, Tete e Zambézia (centro) e Nampula, Niassa e Cabo Delgado (norte do país).

A carteira de projectos identifica os locais potenciais para a execução dos projectos com base no recurso solar, recurso hídrico e ou combinados (híbrido), tendo em conta a disponibilidade de recursos energéticos em cada local”, aponta o comunicado, sublinhando que se pretende, com a iniciativa, garantir que num horizonte de 15 anos a população moçambicana tenha acesso à energia eléctrica, em modelos de sistemas fora da Rede Nacional, nomeadamente micro, mini-redes e pequenos sistemas autónomos.

Em Maio passado, o Funae e o grupo português Galp Energia assinaram um protocolo de parceria que tem como objectivo a execução de um projecto que consiste na instalação de sistemas fotovoltaicos em escolas, centros de saúde e nas comunidades das províncias de Maputo, Sofala, Manica e Cabo Delgado.

A iniciativa tem um orçamento estimado em 40 milhões de meticais, prevendo-se que as actividades decorram num período de dois anos.

Durante o período de 2005-2014 mais de 3,7 milhões de moçambicanos a residir em zonas rurais foram beneficiados, tendo sido electrificadas, com base em sistemas de energia solar, 201 vilas, 669 escolas, 623 centros de saúde e 77 edifícios públicos. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH