Produtores de Moçambique prejudicados com decisão da Índia de limitar importação de leguminosas

19 September 2017

A decisão da Índia de congelar a importação de alguns tipos de leguminosas a fim de proteger os preços na produção local fez com que diversos agricultores de Moçambique tenham ficado sem mercado para exportar a sua produção, de acordo com o jornal Notícias, de Maputo.

O jornal escreveu que mais de 300 toneladas de feijão bóer produzidas na presente campanha agrícola nos distritos de Ancuabe, Montepuez, Chiúre, Balama e Namuno, zona sul da província nortenha moçambicana de Cabo Delgado, correm o risco de se deteriorar por falta de mercado.

Em consequência da decisão do governo indiano, o preço de compra ao produtor daquela leguminosa tem estado a baixar nos últimos dias, tendo caído de 60 meticais/quilograma para 15 a 10 meticais (o dólar vale mais de 61 meticais) neste momento.

Ansumane Tawacali, um dos camponeses afectados pela falta de mercado, disse ao Notícias que os preços praticados não compensam o esforço desenvolvido para a produção e acrescentou ser necessário resolver o problema do mercado e do preço justo ao produtor.

Vasco Mondlane, do projecto de Promoção de Mercados Agrícolas (Promer), reconheceu a existência do problema da falta de mercados, ao nível de Cabo Delgado, para colocação de toda a produção referente à campanha em curso, com destaque para o feijão bóer.

Mondlane adiantou que os preços de compra de produtos agrícolas baixaram significativamente devido, por um lado, ao aumento da oferta e, por outro, à limitação da exportação do feijão bóer para a Índia, que até então constituía o principal mercado. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH