Grupo chinês HNA passa a accionista da empresa brasileira Rio de Janeiro Aeroportos

27 September 2017

O grupo chinês HNA foi autorizado a entrar como accionista na Rio de Janeiro Aeroportos, a sociedade gestora do Aeroporto Internacional António Carlos Jobim, popularmente conhecido por Aeroporto do Galeão, na sequência de uma decisão da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

A ANAC aprovou terça-feira o pedido para a alteração da composição accionista da sociedade gestora, depois de o grupo chinês ter adquirido, através da subsidiária HNA Infraestructure Investment Group, a participação até então detida peo grupo brasileiro Odebrecht.

A parcela de 51% detida pela Rio de Janeiro Aeroportos Aeroporto do Galeão estava dividida em 60% para a Odebrecht Transport, o braço logístico do grupo brasileiro Odebrecht e 40% para a Changi Airports International, operadora do aeroporto de Singapura, com os restantes 49% a serem controlados pela estatal Empresa Brasileira de Infra-estrutura Aeroportuária (Infraero), criada em 1972 para operar os principais aeroportos comerciais do país.

Em Agosto passado, o Conselho Administrativo de Defesa Económica (CADE), a autoridade da concorrência do Brasil, havia já dado um parecer positivo à entrada do grupo chinês na sociedade gestora do aeroporto, faltando apenas o da ANAC para que o negócio ficasse concluído.

A imprensa brasileira noticiou que o acordo para adquirir a participação da Odebrecht Transport previa que o grupo HNA vendesse uma parcela de 9% à Changi Airports International, ficando a estrutura accionista da Rio de Janeiro Aeroportos dividida em 51% para o grupo HNA e os restantes 49% para o grupo de Singapura.

O grupo HNA adquiriu em Agosto de 2016 uma participação de 23,7% da companhia aérea brasileira Azul, pela qual pagou 450 milhões de dólares, passando a ser o principal accionista.  (Macauhub/BR/CN/PT)

MACAUHUB FRENCH