Consórcio público-privado faz prospecção de ouro na província de Cabinda, Angola

4 October 2017

Um consórcio público-privado vai fazer a prospecção de ouro numa concessão com uma área de 195 quilómetros quadrados na província de Cabinda, com um investimento inicial superior a 4,2 milhões de dólares, ao abrigo de um despacho assinado pelo anterior ministro da Geologia e Minas de Angola.

O despacho, assinado ainda por Francisco Queiroz aprova o contracto de investimento mineiro com a sociedade Mongo Mongo Mineração Limitada, participada pela Empresa Nacional de Ferro de Angola (Ferrangol), com 20%, Grupo Southwind – Comércio Geral, Importação e Exportação, Limitada, com 60% e Sofispa, Lda., com os restantes 20%, atribuindo os direitos mineiros para a prospecção de ouro na área a concessionar.

A concessão é feita por um prazo até cinco anos, prorrogáveis até 35 anos, ficando aquela sociedade responsável por pagar uma taxa de superfície durante o tempo que durar a fase de prospecção, entre cinco e 35 dólares (833 e 5836 kwanzas, respectivamente) do primeiro ao quinto ano de prospecção.

Duas das empresas envolvidas nesta sociedade – a estatal Ferrangol e os privados da Sofispa – estão envolvidos numa outra, a Lombe Mining Limitada, que neste caso vai procurar ouro em mais de 381 quilómetros quadrados, também em Cabinda, prevendo um investimento superior a 5,6 milhões de dólares. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH