Angola recebe em 2018 navio oceânico de investigação científica

13 October 2017

O navio oceânico de investigação científica Baía Farta deverá chegar a Angola em 2018 proveniente dos Países Baixos, onde está a ser construído, anunciou quinta-feira, em Luanda, a ministra das Pescas e do Mar.

A ministra Victória de Barros Neto falava a bordo do navio de pesquisa norueguês, Dr. Fridtjof Nansen, que realiza desde o dia 21 de Setembro até 14 de Novembro próximo trabalhos de investigação ao longo da costa angolana e que quinta-feira atracou ao porto de Luanda.

A ministra afirmou que a parceria entre Angola e Noruega no sector das pescas evoluirá para o desenvolvimento de centros de dados, onde os cientistas poderão interagir e partilhar os resultados da investigação, criando uma abordagem mais abrangente e integrada para outras ciências relacionadas com os oceanos.

Referiu que os navios de pesquisa da Noruega têm contribuído de forma significativo para o aprofundamento do conhecimento dos oceanos e do mar de diversos países do mundo, particularmente em Angola, desde 1985.

Com estas campanhas, prosseguiu Victória de Barros Neto, o país dispõe de uma série de dados de 31 anos, que se considera como um património nacional que permite ter uma informação segura da biodiversidade marinha e base científica necessária para uma exploração racional e sustentada dos recursos marinhos.

O navio Dr. Fridtjof Nansen, com 15 tripulantes e técnicos noruegueses e angolanos, é o terceiro com esta denominação e um dos maiores do mundo, cujos equipamentos permitem cartografar recursos marinhos e determinar o nível de poluição do mar, sobretudo a nível dos micro plásticos.

Além dos recursos pesqueiros, os dois países possuem também acordos de cooperação nas áreas dos petróleos, das energias renováveis e dos direitos humanos, sendo Angola o maior parceiro económico da Noruega em África. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH