Moçambique pretende superar a produção pré-independência de castanha de caju

16 October 2017

Moçambique deverá estar a produzir a curto prazo 200 mil toneladas de castanha de caju, disse o primeiro-ministro Agostinho Carlos do Rosário, que justificou a sua afirmação com os investimentos que estão a ser efectuados na cultura de rendimento.

O primeiro-ministro, que recordou que Moçambique já ultrapassou aquela tonelagem antes da independência, em 1975, disse que Nampula é uma das províncias do país que mais se destaca na produção de castanha de caju, com 60 mil toneladas ou quase metade da actual produção de 137 mil toneladas.

Carlos Agostinho do Rosário falava no campo de produção intensiva de cajueiros de Nassuruma, distrito de Meconta, no âmbito da visita de trabalho que efectua a Nampula, de quinta-feira a sábado da semana passada, de acordo com a agência noticiosa AIM.

O viveiro de Nassuruma, que pertence ao Instituto de Fomento do Caju (Incaju), tem como uma das suas principais actividades a produção de mudas de cajueiro, tendo na presente campanha 2016/17 produzido já 799 mil mudas enxertadas.

O primeiro-ministro visitou ainda a empresa Alfa-Agricultura, de capitais sul-africanos, cujos donos aplicaram 8,6 milhões de dólares na produção, num terreno com 1080 hectares, de castanha de caju, produtos hortícolas e fruta. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH