Brasil e China estudam cooperação no estudo do bambu

25 October 2017

Uma delegação da Academia Chinesa de Florestas deslocou-se a Brasília para discutir com a Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia formas de aumentar o intercâmbio de material genético de bambu entre os dois países e o envio de variedades de bambu da China para o Brasil.

Para além do intercâmbio de material genético, o trabalho conjunto com a China vai envolver pesquisas de adaptação das espécies chinesas às condições brasileiras, caracterização genética, conservação e também multiplicação a partir de técnicas de propagação in vitro.

A China é hoje o maior produtor mundial de bambu que é muito utilizado na construção civil e em mais de 450 produtos e tecnologias e duas mil pesquisas que abrangem sectores como a alimentação, arte, arquitetura, fabricação de papel e vestuário, no qual a fibra natural é usada na confecção de seda artificial de alta qualidade.

Desde 2011 que a China forma técnicos brasileiros no âmbito de um Memorando de Entendimento (MoU) assinado entre oMinistério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) do Brasil e Ministério de Ciência e Tecnologia da China (MOST).

A delegação chinesa visita ainda o Acre, onde conhecerá experiências de produtores locais de bambu, São Paulo e Manaus.

O Brasil possui a maior biodiversidade de bambu das Américas e uma das maiores do mundo, com cerca de quatro milhões de hectares de florestas na Amazónia e mais de 230 espécies nativas do Brasil em praticamente todas as regiões do país. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH