Angola e Cabo Verde melhoram ambiente de negócios

Angola e Cabo Verde melhoraram o ambiente de negócios, tendo subido respectivamente sete e duas posições no índice “Doing Business 2018” terça-feira divulgado em Washington pelo Banco Mundial (BM) e liderado pela Nova Zelândia com 86,55 pontos em 100.

O relatório “Doing Business 2018: Reformar para Gerar Empregos”, do grupo Banco Mundial, analisa as medidas tomadas, entre Junho de 2016 e Junho de 2017, por 190 países para criar empregos, atrair investimento e aumentar a competitividade, baseando-as as classificações atribuídas numa pontuação média de 10 tópicos relacionados com o ambiente de negócios.

Os países de língua portuguesa Portugal, Brasil, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Guiné-Bissau pioraram a sua classificação na lista e Timor-Leste manteve a posição.

Portugal caiu do 25.º para o 29.º lugar e de uma pontuação de 77,40 para 76,84, enquanto o Brasil passou do 123.º para o 125.º lugar com uma pontuação de 56,45 contra 56,53 do índice anterior.

Moçambique melhorou ligeiramente a pontuação, passando de 53,78 para 54 pontos em 100, mas mesmo assim caiu do 137.º para o 138.º lugar.

São Tomé e Príncipe caiu da posição 162 para a 169 e de uma pontuação de 46,75 para 44,84 pontos, enquanto a Guiné-Bissau passou do lugar 172 para o 176 e de uma pontuação de 41,63 para 41,45.

São Tomé e Príncipe introduziu o sistema “one stop shop”, que influenciou positivamente o comércio internacional, enquanto a Guiné-Bissau conseguiu melhorar durante este período o seu sistema de crédito.

Timor-Leste manteve-se na posição 178.ª apesar de ter piorado ligeiramente a pontuação de 40,88 para 40,62 pontos. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH