Japão paga formação profissional em Moçambique

10 November 2017

A Agência Japonesa de Cooperação Internacional (JICA) vai aplicar seis milhões de dólares ao longo dos próximos quatro anos no projecto de apoio técnico ao Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) de Moçambique, anunciou o representante residente da agência japonesa, Hiroaki Endo.

O projecto beneficia directamente o Instituto de Formação Profissional e Estudos Laborais Alberto Cassimo (IFPELAC) e vai ser aplicado nos Centros de Formação Profissional da Machava, na província meridional de Maputo, Nacala (Nampula, norte) e Quelimane (Zambézia, centro).

O projecto visa aperfeiçoar o modelo de formação profissional em Moçambique, entre 2017 e 2021, em quatro áreas técnicas, nomeadamente construção civil, serralharia e soldadura, mecânica auto e processamento de alimentos.

Está previsto que até ao final do programa o IFPELAC já tenha currículos modernizados e disponibilidade de material didáctico de formação profissional que se ajustem ao novo sistema, formação de formadores (no Brasil), realizado cursos-piloto e formado quadros em gestão de centros de formação profissional.

O acordo entre as duas partes estabelece que o governo moçambicano, através do IFPELAC, vai disponibilizar recursos humanos, salas, água e luz e serviços de segurança, sendo o salário de um quadro técnico (já em Moçambique), viaturas, mobiliário, acesso à Internet e despesas correntes garantidas pela JICA.

O Japão comprometeu-se na VI Conferência Internacional para o Desenvolvimento de África (TICAD VI) a contribuir, continuamente, para o desenvolvimento dos recursos humanos necessários para a promoção da transformação económica, industrial e social dos países africanos, em particular Moçambique. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH