Pólo Industrial de Viana rescinde contractos com empresas inoperantes

14 November 2017

O Pólo Industrial de Viana tem actualmente em curso cerca de 150 processos de rescisão de contratos com empresas e de reversão das áreas não-utilizadas, disse segunda-feira em Luanda o presidente do conselho de administração, no final de um colóquio comemorativo do décimo aniversário da instituição.

Luís Ribeiro adiantou terem sido já concluídos 15 processos, com a consequente recuperação dos espaços, havendo mais 32 que ficarão concluídos dentro de dias e estando a ser iniciados alguns processos judiciais para situações em que é necessária a intervenção dos tribunais.

“São processos que continuam e esperamos que até ao fim do ano possamos ter áreas significativas disponíveis para entregar aos investidores que têm reais condições de implantação dos seus projectos”, disse, citado pela agência noticiosa Angop.

O Pólo de Desenvolvimento Industrial de Viana, zona de desenvolvimento de projectos industriais, em Luanda, com 2800 hectares, cuja criação aprovada pela Comissão Permanente do Conselho de Ministros da República de Angola, na sua Resolução nº 4/98 de 27 de Março, conta actualmente com pelo menos 600 empresas instaladas, das quais 330 estão a laborar com cerca de 6500 trabalhadores.

Luís Ribeiro disse ainda serem necessários 100 milhões de dólares para a construção e ou reparação de infra-estruturas fundamentais, como sejam as redes de abastecimento de água e de energia eléctrica, reparação e asfaltagem da rede viária e arborização.

O presidente do conselho de administração adiantou não ter havido nunca um investimento coerente no pólo, caso da rede de abastecimento de energia eléctrica, que foi sendo expandida em função das necessidades, bem como da rede de abastecimento de água, que não existe, embora exista um centro de distribuição.  (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH