Refinaria de Luanda fornece combustível às cimenteiras FCKS e CIF

14 November 2017

A Refinaria de Luanda procedeu ao carregamento dos camiões-cisterna ao serviço das cimenteiras China International Fund (CIF), que adquiriu 35 metros cúbicos, e da Fábrica de Cimento do Kwanza Sul (FCKS), que comprou 38 metros cúbicos de fuel óleo pesado, informou a Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol).

O carregamento efectuado na passada sexta-feira, de acordo com o comunicado divulgado, põe termo a um conjunto de constrangimentos e bloqueios operacionais que tiveram início em 2003, com as obras no porto de Luanda, que afectaram e desactivaram parte significativa das estruturas de armazenamento e comercialização da empresa e impediram o fornecimento daquele tipo de combustível a alguns clientes, entre os quais as fábricas de cimento.

A Sonangol acrescenta no comunicado que o processo de fornecimento do produto conheceu novos desenvolvimentos em 2007 com a criação de um oleoduto que ligou a Refinaria à cimenteira Nova Cimangola, que na altura era o único cliente utilizador de fuel óleo em Angola, passando a ser abastecida por esta via.

Em 2015, com a construção de novas fábricas de cimento, outros clientes, como a FCKS, recebiam o produto através das instalações do Lobito mas no ano seguinte, em 2016, houve um acordo comercial entre as cimenteiras que acordaram usar os tanques e as instalações da Nova Cimangola para fornecimento de combustível, procedimento que se manteve até Fevereiro deste ano.

“Durante este período, a decisão de aumentar a capacidade operacional da Refinaria de Luanda, que tem vindo a ser executada nos últimos meses, permitiu a esta subsidiária da Sonangol fornecer de forma directa e consistente fuel óleo e outros derivados de petróleo às cimenteiras e outros clientes”, refere o documento.

A Fábrica de Cimento do Kuanza Sul (FCKS), que paralisou a produção alegando falta de combustível para produzir clínquer, deverá recomeçar a funcionar dentro de 50 dias, na “sequência da negociações bem-sucedidas com os ministérios dos Recursos Minerais e da Construção, informou a empresa em comunicado divulgado em Luanda. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH