Economia de Angola recupera mas desequilíbrios macro-económicos mantêm-se, FMI

16 November 2017

Angola está a registar este ano uma recuperação económica ligeira, mas continua a ter desequilíbrios macro-económicos significativos, pode ler-se no comunicado quarta-feira divulgado em Washington e elaborado pela missão que recentemente concluiu uma visita de 10 dias ao país.

A missão liderada pelo economista brasileiro Ricardo Velloso estima que a economia registe este ano um crescimento de 1,1% e que a balança sobre o exterior registe melhorias, devido à evolução positiva registada nos termos de troca, mas acrescenta que a inflação mantém-se elevada.

“Não obstante as vendas de moeda estrangeira por parte do Banco Nacional de Angola estarem a aumentar, o que fez com que as reservas sobre o exterior tenham caído para 14,9 mil milhões de dólares em Outubro, a diferença entre as taxas de câmbio oficial e paralela mantém-se elevada, continuando os pedidos de divisas da banca comercial a não serem totalmente satisfeitos”, pode ler-se no comunicado.

A missão do FMI em Angola manteve ainda discussões preliminares relativas às políticas económicas e planos de reforma previstos pelo novo governo, para solucionar os desequilíbrios macro-económicos e melhorar as perspectivas de crescimento, contidos no plano intercalar a seis meses, a executar até Março de 2018.

“Os desequilíbrios macro-económicos devem ser enfrentados com determinação (…) O plano intercalar está adequadamente centrado nos objectivos de intensificar os esforços de consolidação orçamental, introduzir maior flexibilidade na taxa de câmbio e melhorar a governação e o ambiente de negócios, de modo a promover um crescimento mais rápido bem como a diversificação económica”, conclui o comunicado. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH