Vale Moçambique extrai 10 milhões de toneladas de carvão de Janeiro a Outubro

21 November 2017

A Vale Moçambique extraiu de Janeiro a Outubro cerca de 10 milhões de toneladas de carvão da mina de Moatize, província de Tete, montante que quase duplica os 5,9 milhões de toneladas extraídos no período homólogo de 2016, informou a subsidiária do grupo brasileiro Vale.

Rogério Sendela, um dos responsáveis da Vale Moçambique, disse a jornalistas moçambicanos que a meta e extrair este ano 13 milhões de toneladas de carvão térmico e metalúrgico, o que representará um aumento de 120% comparativamente à quantidade extraída em 2016.

Sendela mostrou-se confiante no alcance da meta, explicando que o “grande” aumento da produção de um ano para outro deve-se ao facto de a empresa contar, desde finais de 2016, com uma segunda unidade de processamento, aliado à entrada em funcionamento de uma linha de caminho-de-ferro com capacidade e níveis de segurança operacionais muito acima da que usava desde o início das operações.

O jornal Notícias, de Maputo, escreveu que a entrada em funcionamento do Corredor Logístico do Norte (CLN), que inclui uma linha de caminho-de-ferro que liga Moatize ao porto de Nacala, passando pelo Malaui, a Vale deixou de contar apenas com a linha de Sena, que liga a região carbonífera de Tete ao porto da Beira.

A linha de caminho-de-ferro da CLN tem capacidade para escoar 18 milhões de toneladas de carga por ano, ao passo que a linha do Sena permite à Vale Moçambique escoar apenas seis milhões de toneladas.

Actualmente, cinco comboios com 120 vagões cheios de carvão partem por dia de Moatize com destino a Nacala, num percurso feito em cerca de 30 horas, levando cada composição 7560 toneladas de carvão, que são exportadas para a Índia, Japão e Brasil, bem como para outros mercados. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH