Substituição das importações em Angola depende da competitividade interna

22 November 2017

Angola substituirá a importação de materiais de construção através da utilização da capacidade produtiva nacional, apenas quando os seus produtos forem competitivos em qualidade e em preço, declarou terça-feira em Luanda a ministra da Indústria, Bernarda Martins.

“O fomento das exportações angolanas é uma orientação do governo que fica ameaçada com a falta de competitividade da indústria nacional que, além disso, constitui um impedimento à criação de uma cultura empresarial”, disse a ministra, de acordo com a agência noticiosa Angop.

A competitividade industrial dependerá fortemente do seu enquadramento legislativo e das normas e procedimentos que lhes serão aplicáveis, nomeadamente dos sistemas de licenciamento industrial, de qualidade, normalização, certificação, da garantia da defesa da propriedade industrial e intelectual e do funcionamento eficaz da inspecção industrial.

Ao discursar na abertura do 2.º seminário da Associação das Indústrias de Materiais de Construção de Angola, a ministra salientou o facto do Plano intercalar do governo, cuja vigência vai de Outubro de 2017 a Março de 2018, fazer uma referência à produção de materiais de construção.

O encontrou abordou a normalização e qualidade e as normas e regulamentação da construção, tendo os presentes assistido a apresentações por parte do Instituto Angolano de Normalização e Qualidade e do Laboratório de Engenharia de Angola. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH