Angola depende da importação para satisfazer consumo de arroz

30 November 2017

A actual produção angolana de arroz, de cerca de 25 mil toneladas, fica muito aquém da quantidade importada, mais de 400 mil toneladas, para satisfazer o consumo interno, disse quarta-feira em Luanda o secretário de Estado para Agricultura e Pecuária, Carlos Alberto Pinto.

O secretário de Estado disse ainda que na campanha agrícola 2015/2016 o país produziu pouco mais de 24,5 mil toneladas, sendo que metade foi garantida pelas empresas agrícolas familiares e a metade restante pelas empresas agrícolas empresariais, de acordo com a agência noticiosa Angop.

“Tal significa que Angola está praticamente dependente da importação para satisfazer o consumo nacional deste produto”, disse o secretário de Estado, que acrescentou estar o Ministério da Agricultura e Florestas a trabalhar no sentido de produzir semente adaptada às condições do país, a fim de que o arroz volte a ser produzido nas regiões tradicionais das Lundas, Moxico, Malanje e Bié.

Carlos Alberto Pinto discursava nesta quarta-feira na abertura da 4.ª Reunião da Comissão de Coordenação Conjunta do Projecto de Desenvolvimento de Cultivo de Arroz em Angola, que conta com o financiamento da Agência de Cooperação Internacional do Japão.

A reunião, organizada pelo Instituto de Desenvolvimento Agrário está a avaliar, entre outras questões, o Relatório Progresso 2016/2017, Apresentação do Plano de Trabalho da Campanha Agrícola 2017/2018 e a Estratégia Nacional de Desenvolvimento de Arroz, centrada nas famílias camponesas.

O arroz é um dos principais alimentos básicos da população angolana nos últimos anos, sendo o produto mais consumido depois da mandioca e do milho. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH