Venda de acções da Hidroeléctrica de Cahora Bassa, Moçambique, será transparente

1 December 2017

A venda de 7,5% das acções representativas do capital social da entrada da Hidroeléctrica de Cahora Bassa (HCB) na Bolsa de Valores de Moçambique (BVM) será um processo célere e transparente, garantiu quarta-feira o presidente da instituição, em declarações citadas pela agência noticiosa AIM.

Os mecanismos para a venda das acções anunciada no Songo pelo Presidente da República ainda não são conhecidos, mas Salim Valá, presidente da bolsa de valores, disse que os critérios que vão nortear esta operação financeira serão tornados públicos com vista a promover uma maior inclusão financeira.

Com a venda das acções da HCB, sobe para sete o número de empresas cotadas na Bolsa de Valores de Moçambique, facto que vai reforçar a capitalização bolsista da instituição.

Salim Valá disse ainda que a entrada da HCB na Bolsa de Valores de Moçambique vai estimular mais empresas públicas e privadas e concessões empresariais a solicitar a admissão à bolsa, “por se tratar de uma empresa de capitais nacionais e um exemplo do ponto de vista de gestão empresarial.”

Fazendo uma radiografia do mercado de capitais, Salim Valá referiu que o actual contexto é satisfatório, mercê do crescimento da taxa de bancarização, situada em 25%, bem como a existência de um nível de inclusão financeira fixado em 15%, além de uma taxa de penetração de seguros estimada em 7,0%. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH