Grupo Heineken inicia construção de fábrica de cerveja em Moçambique

5 December 2017

O grupo Heineken deverá começar a produzir cerveja em Moçambique a partir do primeiro semestre de 2019 na fábrica que irá custar 100 milhões de dólares, dispor de capacidade de produção de 800 mil hectolitros por ano e cuja primeira pedra foi segunda-feira lançada no distrito de Marracuene, província de Maputo, escreveu a imprensa moçambicana.

O director-geral da Heineken Internacional para África, Médio Oriente e Europa Oriental, Boudewijn Haarsma, manifestou o entusiasmo do grupo por ir começar a produzir em Moçambique um país que, segundo ele, tem perspectivas promissoras a longo prazo.

“Com a nossa vasta experiência e negócios existentes em África, também pretendemos ser parceiros para o crescimento económico de Moçambique, como já somos no resto do continente”, indicou Boudewijn Haarsma.

A subsidiária Heineken Mozambique iniciou a actividade em 2016 com um escritório de promoção e vendas e a importação de cervejas como Heineken, Amstel, Amstel Lite e Sagres a fim de alargar a quantidade de produtos à disposição dos consumidores moçambicanos.

O ministro da Indústria e Comércio, Max Tonela, destacou o facto de este projecto responder à estratégia de industrialização promovida pelo governo visando a transformação estrutural da economia e a sua inserção no mercado mundial e acrescentou que a fábrica irá assegurar a substituição de importações de um produto consumido em larga escala, contribuindo para a poupança de divisas e para a melhoria da balança comercial do país. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH