Empresa chinesa DJI quer crescer no mercado de “drones” do Brasil

6 December 2017

A empresa chinesa DJI (Da-Jiang Innovations Science and Technology Co., Ltd) escolheu a empresa Golden Distribuidora para representante oficial no Brasil, país onde pretende aumentar as vendas de veículos aéreos não-pilotados de forma significativa ao longo dos próximos dois anos, informaram as duas empresas em comunicado conjunto divulgado terça-feira.

As duas empresas pretendem, ao abrigo desta parceria, preencher um segmento de mercado por explorar, após a gama completa de equipamentos da DJI ter sido homologada e certificada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), que em Maio último aprovou regras para a utilização de veículos aéreos não-pilotados, vulgo “drones.”

O presidente executivo e fundador da Golden Distribuidora, Davi Saadia, disse que estão a ser vendidos no Brasil cerca de 10 mil “drones” da DJI por mês, prevendo-se agora que as vendas aumentem para 100 mil a 150 mil unidades por mês no decurso dos dois próximos anos.

A Da-Jiang Innovations Science and Technology Co., Ltd tem uma quota de 75% a 85% do mercado mundial de “drones” facturando cerca de 1700 milhões de dólares, tendo nos dois últimos anos mais do que triplicado as vendas, de acordo com Davi Saadia.

Os veículos aéreos da DJI são principalmente utilizados no cinema e vídeo, agro-negócio, inspecções industriais e prediais, exploração mineira e segurança e operações de busca e resgate, disse o director da empresa chinesa para a América Latina, Manuel Martínez.

A DJI tem sede em Shenzhen, zona económica especial adjacente a Hong Kong, onde produz, além dos veículos aéreos não-pilotados, plataformas de voo, sistemas de propulsão, estabilizadores de máquinas fotográficas e de cinema e controladores de voo. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH