Portucel Moçambique já plantou 13 mil hectares com eucalipto

7 December 2017

A Portucel Moçambique tem já plantados 13,2 mil hectares com “clones” de eucalipto, área que representa 3,7% dos 356 mil hectares constantes no título de Direito de Uso e Aproveitamento de Terra (DUAT) nas províncias centrais de Manica e Zambézia, disse recentemente em Maputo o presidente da comissão executiva da empresa.

João Lé, durante o lançamento público do Conselho Consultivo da Portucel Moçambique (CCP), um modelo de articulação entre as organizações da sociedade civil, sector privado e governo, disse ainda que o trabalho já realizado desde 2015 representa um investimento de 110 milhões de euros efectuado pelo grupo português The Navigator Company.

A Portucel Moçambique foi constituída pelo grupo português anteriormente conhecido por Portucel Soporcel em 2009, ano em que obteve o título de DUAT para 173 mil hectares na província da Zambézia e 183 mil hectares na província de Manica, dois terços dos quais serão plantados com eucalipto “para garantir que as populações poderão permanecer nos locais onde residem e para garantir ainda a preservação de valores culturais e ambientais.”

A AAMoc, uma organização internacional não-governamental, é um dos cinco membros eleitos da sociedade civil que compõem o CCP, a par de Organização Rural de Assistência Mútua (ORAM), Ajuda de Desenvolvimento de Povo para Povo (ADPP), Programa Nacional dos Direitos Humanos (PNDH) e Plataforma da Sociedade Civil Moçambicana para a Protecção Social (PSCMPS).

O grupo português The Navigator Company pretende investir três mil milhões de dólares neste projecto, que deverá criar sete mil postos de trabalho directos e muitos mais indirectos e ser um dos maiores negócios em Moçambique fora da indústria extractiva. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH