Governo de Angola recebe “quase 20 propostas” para a construção de refinarias

12 December 2017

O ministro da Comunicação Social de Angola revelou ter o governo recebido no espaço de dois meses quase “20 propostas para a construção de refinarias e investimentos na indústria petroquímica”, de acordo com o angolano Novo Jornal.

O ministro João Melo, depois de comentar na sua conta na rede social Twitter a “excelente notícia” dos novos investimentos do grupo francês Total no país, adiantou haver sinais promissores para a indústria petroquímica angolana, uma vez que às “quase 20 propostas” há a somar as visitas de “altos mandatários estrangeiros interessados em fazer outros investimentos.”

No final de Novembro último, o novo presidente do Conselho de Administração da Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol) Carlos Saturninoi anunciou em Pretória que a empresa pretende seleccionar até Março próximo um parceiro internacional para construir uma nova refinaria e reduzir as importações de produtos refinados.

“Durante o primeiro trimestre de 2018 [a empresa vai] seleccionar e tomar a decisão sobre a construção de uma refinaria de grande dimensão”, disse, citado pela imprensa angolana

A Sonangol mantém em actividade a refinaria de Luanda, inaugurada em Maio de 1958 e uma capacidade nominal instalada de 65 mil barris por dia e que produz apenas 20% dos combustíveis consumidos por Angola. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH