Grupo China Forestry Group Corporation estuda compra de activos florestais no Brasil

19 December 2017

O grupo China Forestry Group Corporation contratou o banco de investimento Modal como assessor financeiro para analisar a eventual aquisição dos activos florestais colocados à venda pelo grupo francês Vallourec, um dos maiores produtores mundiais de soluções tubulares para a indústria, noticiou o jornal O Estado de S. Paulo.

Os activos do grupo francês são plantações de eucaliptos no Estado de Minas Gerais que ocupam 230 mil hectares e que foram já avaliados entre 600 milhões e 700 milhões de dólares.

O jornal acrescentou que o grupo chinês não definiu ainda de que forma vai estruturar esta operação, uma vez que o Brasil tem restrições à entrada de investidores estrangeiros desde 2010, após uma decisão da Advocacia-Geral da União (AGU) que proibiu grupos internacionais de adquirir o controlo de propriedades agrícolas.

Uma das hipóteses em análise será o estabelecimento de uma parceria com um grupo brasileiro para tornar possível a compra dos activos florestais do grupo francês.

O grupo Vallourec utiliza a madeira de eucalipto para a produção de carvão para queima nas suas unidades siderúrgicas, mas a crise que se registou na produção de aço a partir de 2015 conduziu a uma reestruturação internacional dos seus negócios.

Em 2016, o grupo desligou dois dos três altos-fornos que dispunha no Brasil e contratou o banco BTG Pactual para procurar vender uma mina em Pau Branco, igualmente no Estado de Minas Gerais, com um valor estimado em 500 milhões de dólares. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH