Brasil e China reúnem-se em Janeiro para avaliar apoios do Fundo para a Expansão da Capacidade Produtiva

28 December 2017

Autoridades do Brasil e da China vão reunir-se no final de Janeiro do próximo ano para avaliarem em conjunto oito projectos pré-seleccionados para serem apoiados pelo Fundo Brasil-China para a Expansão da Capacidade Produtiva criado este ano com 20 mil milhões de dólares americanos.

O jornal Valor Económico refere que os projectos do Ferrogrão, uma linha de caminho-de-ferro que ligará Sinop, no Mato Grosso a Miritituba no Pará e uma central siderúrgica no Maranhão, em parceria com a CBSteel, são os investimentos praticamente certos para receberem apoio financeiro do fundo.

O jornal refere que ainda em Janeiro deverá ser tomada também uma decisão sobre a entrada das empresas China Railway Capital e China Railway First Group na linha 6 do metro de São Paulo. Os dois grupos chineses, associados à empresa japonesa Mitsui, pretendem substituir o anterior consórcio que começou as obras mas nunca as concluiu.

O leilão em 2018 para a construção da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol) na Bahia e a construção do Porto Sul de Ilhéus para escoar a carga transportada por via férrea são igualmente projectos que as empresas privadas da China indicaram estar interessadas.

Em 2017 a State Grid da China comprou a CPFL Energia, a China Merchants Port adquiriu o Terminal de Contentores de Paranaguá no Paraná, a State Power Investment Corporation (Spic) assumiu o controlo da hidroeléctrica de São Simão e a HNA passou a deter o controlo do aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro.

Segundo o Ministério do Planeamento do Brasil a China tem investimentos directos no Brasil estimados em 117 mil milhões de dólares mas concentra os mesmos em três sectores: energia, mineração e agronegócio. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH