Parceria estratégica entre China e Angola continua firme, afirma ministro Wang Yi

15 January 2018

O ministro dos Negócios Estrangeiros da China, Wang Yi, garantiu ao Presidente de Angola, João Lourenço, que a parceria estratégica entre os dois países continua firme e, ao ser recebido em audiência no Palácio da Cidade Alta, anunciou pleno apoio aos programas de desenvolvimento económico e social angolanos.

“A China está disposta a reforçar o apoio a Angola para acelerar o processo de diversificação económica, depois de já se ter tornado no seu maior financiador durante o período de reconstrução do país”, disse o ministro, citado pelo Jornal de Angola.

Wang Yi afirmou que novos financiamentos vão depender das necessidades de Angola, tendo acrescentado que “cabe às autoridades angolanas apresentar as propostas e à China estudá-las” e garantido que o seu país não vai poupar esforços para ajudar no desenvolvimento de Angola.

“Nestes últimos anos da cooperação bilateral, a China ajudou Angola a recuperar ou construir mais de 20 mil quilómetros de estradas, construiu mais de 2800 quilómetros de linha férrea, construímos mais de 100 escolas e mais de 50 hospitais e milhares de habitações”, disse o ministro, acrescentando que todos estes projectos têm como foco a melhoria das condições de vida do povo angolano.

Num artigo de opinião recentemente publicado no Jornal de Angola, o embaixador da China, Cui Aimin, revelou que, após o estabelecimento das relações diplomáticas, a parte chinesa concedeu à parte angolana empréstimos que totalizam mais de 60 mil milhões de dólares, destinados à construção de obras de infra-estrutura como centrais de energia, estradas, pontes, hospitais e casas.

O ministro Wang Yi assinou domingo com o seu congénere angolano, Manuel Augusto, um acordo que vai tornar mais simples os mecanismos de concessão de vistos a empresários e homens de negócios, académicos e pesquisadores científicos, homens de cultura, desportistas e pessoas com necessidades de tratamento médico.

A assinatura seguiu-se a um encontro entre delegações dos dois países e que do lado angolano contou também com a presença dos ministros das Finanças, Archer Mangueira e Recursos Minerais e Petróleos, Diamantino Azevedo, que serviu para analisar o “enquadramento das relações bilaterais e a apreciação da dívida de Angola.”  (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH