Grupo Odebrecht obtém 140 milhões de dólares com venda de participação em mina de diamantes em Angola

17 January 2018

O grupo brasileiro Odebrecht vai realizar um encaixe de 140 milhões de dólares com a venda da participação de 16,4% na Sociedade Mineira de Catoca, empresa que explora no leste de Angola a quarta maior mina de diamantes a céu aberto do mundo, de acordo com um comunicado divulgado pelo grupo russo Alrosa PJSC.

O negócio, promulgado este mês pelo Presidente angolano, João Lourenço, através de um decreto presidencial, será legalizado em termos formais em Fevereiro/Março, posto o que o capital social da Sociedade Mineira de Catoca ficará dividido em duas parcelas de 41% detidas pelo grupo russo Alrosa e pela estatal Empresa Nacional de Prospecção, Exploração, Lapidação & Comercialização de Diamantes de Angola (Endiama) e uma de 18% para a LL International Holding B.V.

A participação do grupo Odebrecht, detida através da subsidiária Odebrecht Mining Service Investiments GmbH, foi inicialmente vendida à Wargan Holdings Limited, empresa cujo capital social é detido em 100% pelo grupo russo Alrosa PJSC, para ser posteriormente dividida em partes iguais de 8,2% com a estatal angolana.

A Sociedade Mineira de Catoca, situada no município de Saurimo, província da Lunda Sul, é o quarto maior produtor mundial de diamantes e líder nacional com uma quota de 86,3% em volume e 60,3% em valor monetário. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH