Sobrevalorização da moeda leva Banco Nacional de Angola a adoptar câmbio flutuante

19 January 2018

O Banco Nacional de Angola (BNA) decidiu adoptar o câmbio flutuante porque o kwanza era a quarta moeda mais sobrevalorizada do mundo, no regime fixo que vigorou até 9 de Janeiro, disse o governador do banco central.

José de Lima Massano disse ainda que em termos de sobrevalorização o kwanza perdia apenas para as moedas da Venezuela, Síria e Iémen, de acordo com um estudo recentemente apresentado por uma instituição europeia.

O governador, que falava na Assembleia Nacional na sessão de discussão e aprovação do OGE/2018 na generalidade, lembrou aos deputados que o facto de ter vigorado o regime de câmbio fixo não significou uma redução de preços, tendo ocorrido em simultâneo uma queda acentuada das reservas internacionais líquidas do país.

“As reservas sobre o exterior registaram no ano de 2017 uma quebra de 33% e se tudo se mantivesse na mesma corríamos o risco de ver essas reservas perder 50% do seu valor”, disse Lima Massano, ao justificar o fim do sistema de câmbios fixos em favor de um sistema com câmbios flutuantes.

O governador, citado pela agência noticiosa Angop, adiantou que a alteração do regime de câmbio, enquadrada nas medidas de ajustamentos monetários e cambiais que estão em curso no âmbito do Programa de Estabilização Macroeconómica para 2018, visa tornar a economia angolana competitiva em relação aos outros países da região.

Na sequência da adopção do regime de câmbio flutuante, o kwanza já se desvalorizou 24,44% em relação ao euro e perdeu 18,47% do seu valor para o dólar.

Um euro valia quinta-feira 248,77 kwanzas e um dólar 203,61 kwanzas, contra 188 kwanzas e 166 kwanzas, respectivamente, quando havia taxas cambiais administrativas.

No regime anterior, um euro estava fixado em 188 kwanzas, enquanto o dólar custava 166 kwanzas. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH