Governo de Moçambique avalia plano apresentado pelo grupo Anadarko Petroleum

O governo de Moçambique está a avaliar o plano de desenvolvimento do projecto de exploração de gás natural Golfinho-Atum, na bacia do Rovuma, apresentado pelo grupo norte-americano Anadarko Petroleum, disse o presidente do Instituto Nacional de Petróleo (INP).

Carlos Zacarias disse ainda ao matutino Notícias, de Maputo, que a aprovação deste plano, que se espera venha a acontecer no primeiro semestre, é crucial para que seja tomada uma decisão final de investimento para um projecto orçado em 25 mil milhões de dólares.

O presidente do INP precisou que o plano apresentado está a ser analisado pelo INP e por outras entidades relevantes para se determinar se “está ou não em conformidade com a legislação em vigor e com as boas práticas desta indústria.”

O projecto Coral Sul do grupo italiano ENI foi concebido para produzir 3,3 milhões de toneladas, enquanto o da Anadarko Petroleum pretende extrair e processar 12 milhões de gás natural por ano, o que exige um investimento de maior dimensão.

Zacarias adiantou que para garantir um financiamento de tal dimensão é necessário, em primeiro lugar, assinar contractos de fornecimento de longa duração, sendo já conhecido que um dos parceiros do bloco Área 1 é um dos compradores, o grupo estatal tailandês PTT, decorrendo negociações avançadas com compradores do Japão, da China e de outros países asiáticos.

“Acreditamos no início da produção e exportação do gás natural existente na bacia do Rovuma em finais de 2022 ou princípios de 2023”, concluiu. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH